Juruá Online

Variedades

Cidades brasileiras registram aglomeração em locais de votação

O dia de votação pelo país foi marcado por algumas aglomerações neste domingo (15). Dificuldade para encontrar as seções eleitorais, ausência de mesários e problemas técnicos foram alguns dos motivos.

Os eleitores devem respeitar o distanciamento mínimo de 1 metro. Porém, em algumas situações, é possível ver que a regra não foi respeitada. Além disso, os cidadãos devem utilizar máscaras e passar álcool em gel nas mãos antes e depois de votar (leia mais abaixo). A votação vai até 17h.

Mudança do local de votação

Em Goiás, mudança de locais de votações causou aglomeração em algumas zonas eleitorais da cidade. Sem saber ao certo onde teria que votar, eleitores se reuniam em frente aos painéis dos colégios para localizar a sala de votação.

Antes de sair de casa, o cidadão pode consultar o local de votação pela internet.
Em todo o país, algumas zonas e seções eleitorais que mudaram de local por causa da pandemia ou porque escolas entraram em reforma.
Em outro local da cidade, cerca de 40 eleitores enfrentam fila para votar em seção que, segundo os eleitores, ficou quatro horas fechadas. Muitos desistiram de votar. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-GO) disse que vai se pronunciar sobre o problema na tarde deste domingo.
No Recife, um painel improvisado orienta eleitores que estão com dúvidas sobre a mudança de local das seções eleitorais no Colégio Adventista do Arruda, localizado no bairro de Água Fria, na Zona Norte da cidade.
A mudança também não agradou aos eleitores. O motorista Carlos Roberto Lopes, de 54 anos, reclama da aglomeração no Colégio São José, em Pouso Alegre. Segundo ele, na última eleição, a seção 111 ficava no terceiro andar e era vazia.

Em 2020, como colocaram a seção 114 na mesma sala, o local ficou tumultuado. “Agora está uma porcaria! Antigamente a gente chegava lá tinha uma, no máximo duas pessoas, agora está essa fila”.
Filas e outros problemas
Há também casos de filas nos colégios por conta de muitas pessoas para votar ao mesmo tempo. Nem mesmo a antecipação no horário de votação conteve as filas, como pode ser visto em Salvador.
Uma zona eleitoral em Queimados, na Baixada Fluminense, ficou completamente lotada. Questionado sobre o tumulto, o Tribunal Regional Eleitoral do RJ informou que vai verificar a denúncia e que faz apenas a fiscalização sobre propaganda eleitoral.
Em Natal, uma escola registrou mais de duas horas de lentidão para abertura das seções eleitorais. A demora causou fila, confusão e um cadeirante chegou a passar mal do lado de fora da sala. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do RN (TRE-RN), o atraso foi causado pela ausência do supervisor do local de votação.
Em um colégio de Teresina, os eleitores tiveram de esperar cerca de três horas, após a abertura oficial dos portões, para irem às urnas por conta da demora para chegada do livro de registro de uma das seções.
No Paraná, algumas filas foram vistas nos locais de votação, porém as pessoas têm respeitado o distanciamento social nas filas.
No Pará, a falta de um mesário também provocou fila e aglomeração de eleitores.
Na cidade de Picos (PI), um local de votação teve atraso de mais de uma hora para abertura dos portões. O motivo foi o sumiço da chave do portão do lugar. De acordo com o cartório eleitoral, a chave não foi localizada e o cadeado precisou ser quebrado.

Como consultar o local de votação
A consulta do local de votação é muito simples: pode ser feita no site do Tribunal Superior Eleitoral pelo nome, número do título ou CPF do eleitor. Nos três casos, é preciso fornecer a data de nascimento e o nome da mãe.
O eleitor também pode fazer a consulta pelo Whatsapp automatizado do TSE, no número (61) 9637- 1078. É só entrar e marcar a opção 6.

 

 sicredi2.png

© Copyright 2015 - Empresa Cruzeirense de Telecomunicações de Rádio e TV LTDA