Juruá Online

Previous Next

Bancários de Cruzeiro do Sul fazem manifestação contra o fechamento de agências no Acre

A manifestação de funcionários do Banco do Brasil, lideres sindicais, vereadores e demais apoiadores que são contra o fechamento de agências da instituição financeira no Acre e especialmente em Cruzeiro do Sul ocorreu na manhã desta quinta feira dia 21 de janeiro.
A meta da presidência do banco do Brasil é demitir até 5 de fevereiro deste ano, cinco mil trabalhadores e trabalhadoras, por meio de um Plano de Demissão Voluntária (PDV).
Além das demissões, serão fechadas 112 agências, 242 postos de atendimento (PA) e sete escritórios, num total de 361 unidades (ainda não foi anunciado os locais ). O comunicado foi feito ao mercado financeiro pelo vice-presidente de Gestão Financeira e Relações com Investidores, Carlos José da Costa André.
No Acre, pelo menos quatro agências do Banco do Brasil devem ser fechadas e outras duas transformadas em postos de atendimentos no Acre, segundo informou o Sindicato dos Bancários do Acre (Seeb-AC) Passarão por mudanças e fechamento: Agência da Avenida Ceará, em Rio Branco; da Catedral, em Cruzeiro do Sul; Assis Brasil e Bujari vão ser fechadas. A agência de Mâncio Lima vai deixar de ser agência e se tornar posto de atendimento, assim como a de Feijó.

 

A professora Íria Matos é correntista do Banco do Brasil. Ela vê o fechamento de agencias como um retrocesso.
“Vejo essa situação como um retrocesso na política dos bancos. Cruzeiro do Sul somos a segunda maior cidade do Acre. Duas agências já se tornam pouco para atender os funcionários em época de pagamento.
Você já chega nas agencias e já não tem o atendimento que se precisa. Fechando a agência, vai ficar pior a situação. No caso de Mâncio Lima transformando em posto de atendimento, não vai disponibilizar todos os serviços bancários que a população precisa. Fico triste também por todos aqueles que deverão perder o seu emprego”, relatou

 

Somente no estado do Acre nas agencias citadas, 26 funcionários poderão ser afetados diretamente, ou com demissão voluntária ou com transferência para agencias inclusive fora do estado.
O vereador e também diretor do Sindicato dos Bancários do Acre no Juruá Elter Nóbrega relata que a manifestação visa garantir os empregos e a continuidade dos atendimentos á população. “Estamos buscando aqui é garantir os empregos e o trabalho e uma qualidade de serviço também no trabalho do bancário no dia a dia. E também, principalmente buscar o melhor atendimento pra população. A medida que você fecha a agência você precariza o atendimento e sobrecarrega as outras agencias e sobrecarrega os outros colegas que vão trabalhar diariamente. De forma direta, aqui na agencia Catedral já vamos perder três empregos dos seguranças. Em todos os locais onde existe uma agência do Banco do Brasil fechando, vai haver um movimento, vai haver uma manifestação. Vamos judicializar essa situação pra evitar que as agencias fechem”, concluiu.

NOTA DO SINDICATO DOS BANCÁRIOS NO JURUA – REPRESENTAÇÃO DE CRUZEIRO DO SUL- AC
O Banco do Brasil está presente em quase todas as cidades brasileiras. A presidência da empresa, forçada pelo pelo governo federal impôs esta situação de fechamento de agências, demissões e descomissionamentos de milhares de pais de família.
Muitos deverão até mudar de cidade para continuar no emprego, e com salário reduzido. Estão alegando reestruturação para melhorar o atendimento.
Uma empresa que, no último trimestre teve lucro líquido de 3 bilhões de reais está fechando agências e forçando funcionários a pedir demissão, alegando que o foco é o cliente. Funcionário desmotivado e sobrecarregado não consegue bem servir.
Estamos vivendo um momento muito difícil, e contamos com toda a população nessa luta pra que seus direitos e atendimento não seja mais dificultado ainda.

Elter Nóbrega – Diretor do Sindicato dos Bancários no Juruá

 

 sicredi2.png

© Copyright 2015 - Empresa Cruzeirense de Telecomunicações de Rádio e TV LTDA