Juruá Online

Após dois meses em queda, comércio varejista no AC tem alta de 7,8% em novembro de 2020

Após dois meses em queda, o comércio varejista no Acre cresceu 7,8% em novembro do ano passado, na comparação com outubro, segundo dados divulgados na última sexta-feira (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O Acre foi destaque na pesquisa, ficando em primeiro lugar entre os 14 estados com alta nas vendas do varejo. Em seguida aparecem os estados de Rondônia, com alta de 7,2%, e o Rio de Janeiro com crescimento de 4,2%.

No acumulado entre janeiro e novembro, o setor ainda registra alta de 5%. Em 12 meses, manteve avanço de 5,1% em novembro. De acordo com os dados, na comparação com novembro de 2019, houve alta de 20,2%, deixando novamente o Acre em destaque, como o primeiro com a maior alta.

No varejo ampliado, que compreende o varejo acrescido das atividades de “veículos, motos, partes e peças” e “material de construção”, o volume de vendas cresceu 9,2% no Acre em novembro e o estado também ficou em primeiro lugar no ranking entre os 17 que tiveram resultado positivo.

Setor de serviços

O setor de serviços avançou 9% na passagem de outubro para novembro de 2020 no Acre. Em outubro, o setor teve um recuo de 1,8%, na comparação setembro.

Na comparação com novembro de 2019, o total do volume de serviços subiu 1,4%. Esses são alguns dos resultados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgadas no último dia 13, pelo IBGE.

No entanto, no acumulado no ano, o setor de serviços teve uma queda de 8,7% frente ao mesmo período de 2019. Já em 12 meses, o recuo de 8,5%.

Dados nacionais

No Brasil, as vendas do comércio varejista caíram 0,1% em novembro, na comparação com outubro, impactadas principalmente pelo recuo nas vendas dos supermercados em meio à alta da inflação. O resultado interrompeu uma sequência de 6 altas seguidas.

No acumulado entre janeiro e novembro, o setor ainda registra alta de 1,2%. Em 12 meses, manteve avanço de 1,3% em novembro, sinalizando estabilidade no ritmo das vendas em relação a outubro.

Das 8 atividades do varejo analisadas pelo IBGE, no entanto, apenas quatro apresentavam crescimento acumulado no ano. As que tiveram melhor desempenho foram móveis e eletrodomésticos e artigos farmacêuticos, medicinais, ortopédicos e de perfumaria. Já as atividades de livros, jornais, revistas e papelaria e a de tecidos, vestuários e calçados tiveram os piores resultados.

No varejo ampliado, as vendas cresceram 0,6% em relação a outubro e 4,1% na comparação com novembro de 2019. No acumulado no ano e nos últimos 12 meses, ainda há queda, de 1,9% e de 1,3%, respectivamente.

 

 

 sicredi2.png