jurua_online_outubro_rosa.png

Acre

Previous Next

Cruzeiro do Sul sediou o II Encontro Brasil/Peru pela construção da estrada entre os dois países

Em agenda na cidade de Cruzeiro do Sul, ministros Ernesto Araújo e Rogério Marinho foram recebidos pelo governador do estado Gladson Cameli, vice-Governador Major Rocha, senador Marcio Bittar, Prefeito do município Clodoaldo Rodrigues, Deputado Luiz Gonzaga e outras autoridades acreanas na tarde da última sexta-feira (25). O evento foi uma reunião aberta para firmar o compromisso em executar a estrada que ligará Brasil e Peru pelo estado do Acre. Com isso, um futuro próspero já pode ser vislumbrado pelos cidadãos cruzeirenses, do Acre e de toda nação brasileira que deseja o progresso para este país de proporções continentais, repleto de riquezas naturais, culturais, além do potencial comercial que se projetará com o crescimento econômico dado pela abertura da fronteira.


Esses aspectos e a vontade de ver o desenvolvimento nacional se expandindo de maneira planejada, fez com que as autoridades políticas, empresários e membros do poder executivo se reunissem para dar prosseguimento ao plano da construção das obras que irão estruturar a região para receber avanços diversos.
Foi anunciada a verba no valor de R$ 45 milhões destinados à ampliação, recuperação e construção de estradas e rodovias estaduais, BR-364 e de pontes de municípios vizinhos a Cruzeiro do Sul, tornando o Vale do Juruá uma região integrada.

 

A presença dos Ministros Ernesto Araújo das Relações Exteriores e o do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, trouxe a confirmação de que o governo federal quer garantir a execução das obras. Foi informado que a licitação para o projeto está programada para final de 2020, Rogério Marinho disse que o plano para realização já foi apresentado ao Presidente da República Jair Messias Bolsonaro e contou com a participação do Senador Marcio Bittar que será o relator do projeto orçamentário para 2021.

 

“O Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) já está nesse meio tempo elaborando um projeto básico que vai permitir a contratação do empreendimento a partir do próximo ano” e disse ainda, “Essa fronteira não significa apenas uma saída do Acre para um país vizinho, mas do Brasil para o mundo” completou Marinho. A ideia de abrir a fronteira e expandir as relações exteriores já existia desde a construção da BR-364 pelo Governo de Orleir Cameli e toma força com o novo governo federal e demais entusiastas, como os políticos acreanos que dão prosseguimento ao objetivo de desenvolver economicamente esse estado.


Visto de maneira reduzida já é percebível os esforços dos poderes executivo e legislativo para o progresso de toda região norte brasileira, abraçando assim o Vale do Juruá que tem muito a ofertar em áreas como turismo, agropecuária, produção de bens sustentáveis, além do comércio que se fortalecerá com a abertura fronteiriça para países como Peru e das Guianas que se dará pelo Amapá e Roraima.


Vale salientar que a proximidade com o Oceano Pacífico proporcionará o escoamento de produtos de todo Brasil para países na Ásia e costa oeste Estadunidense, encurtando o percurso aos destinos de exportação. Trabalhar em parceria com os governos dos países vizinhos irá promover progresso à toda América do Sul. No entanto é sabido que algumas dificuldades poderão ser enfrentadas e para isso diversos setores governamentais, que desejam o crescimento nacional, estão empenhados em mostrar o quanto as regiões mais pobres da Amazônia precisam apenas de incentivo e planejamento, pois força de trabalho e potencial ao crescimento já possuem.


O Ministro Ernesto Araújo, também presente, informou que o Itamaraty não está presente apenas nas grandes negociações com Estados Unidos, com a União Europeia e mercado Asiático, mas que se voltam também para essa região observando às necessidades de um estado tão querido e importante como o Acre, "A integração fronteiriça ela não produz apenas uma soma de oportunidades, ela produz uma multiplicação de oportunidades quando existe uma boa infraestrutura de ligação, é isso que nós queremos aqui pro Acre", afirmou.

 

Ele explicou também que, o que falta de agora em diante é conversar com o lado peruano para estudar a toda dimensão do projeto para transformar essa estrada em realidade.  Ele lembrou que todo esse projeto conta com a participação não menos importante do Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas que está tirando do papel diversos projetos em todo país. "As coisas estão acontecendo dentro dos parâmetros legais", finalizou.

 

Na oportunidade também participaram por vídeo conferência autoridades de estados peruanos e foi informado à imprensa que o diálogo com os países vizinhos para a desburocratização da relação entre ambos, se dará através do embaixador que apontará a necessidade de um trabalho integrado, pela responsabilidade na fronteira, quais os dois países tem interesses recíprocos.

 

 sicredi2.png

© Copyright 2015 - Empresa Cruzeirense de Telecomunicações de Rádio e TV LTDA

Image
Image
Image

PUBLICIDADE

Image